A PELE O DERMATOLOGISTA RAZÕES PARA CONSULTAR DOENÇAS DE PELE RESPOSTA ÀS SUAS DÚVIDAS NOTÍCIAS
 
As doenças da pele variam na sua frequência de acordo com a idade
 
 
Doenças de pele
Na criança
No adolescente
No adulto
No idoso
   
 
Unhas – alterações e doenças das unhas
   
  As unhas têm funções importantes: são um escudo protector da extremidade dos dedos, aumentam a subtileza da preensão, permitindo manipular objectos com precisão; por vezes são usadas como instrumento na alimentação, limpeza, ataque e defesa. Podem também ser decoradas tornando-se um acessório de atracção e, em algumas culturas, transmitem o estatuto social ou religioso do indivíduo. Qualquer alteração das unhas é motivo de preocupação, não só pelo incómodo ou mesmo dor que podem provocar, como também pelo prejuízo estético.

Sabia que O crescimento das unhas é contínuo?

Para renovar a unha dos dedos da mão ou do pé são necessários cerca de 6 e 12 meses, respectivamente, mas num adulto com problemas de circulação pode ser ainda demorado.

As unhas respondem de modo relativamente monótono às agressões e uma alteração da unha como uma mancha branca ou amarela ou uma depressão pode ter causas muito diferentes. O Dermatologista está habituado a reconhecer as alterações das unhas e, se necessário, proceder aos exames necessários para esclarecer a causa das alterações.

Nem todas as alterações das unhas são fúngicas. As unhas sofrem quando a pele à sua volta está doente (psoríase ou eczema), por traumatismos crónicos e repetidos (o calçado apertado, um tique de roer ou “massacrar” a unha pode torná-la grossa e amarelada), por traumatismos agudos (movimentos intempestivos no desporto, um hematoma após “entalar” o dedo numa porta podem mesmo descolar a unha da pele), alguns tumores da pele ou do osso podem afectar as unhas (exostose subungueal) e algumas doenças internas afectam o crescimento da unha (anemia grave, alterações de tireoide).

As infecções não são, portanto, a principal causa de alterações, mas alguns fungos afectam particularmente as unhas. Nas mãos, é mais frequente a infecção por leveduras do género Cândida, que inflamam a pele à volta da unha que se torna dolorosa, com pus (panaríceo) e secundariamente a parte lateral da unha fica acastanhada e separada da pele. A imersão prolongada das mãos em água e a diabetes é um factor facilitador deste tipo de infecções.

Nos pés são os dermatófitos que causam as infecções das unhas ou onicomicoses. Estas surgem muitas vezes pela frequência de locais quentes e húmidos (saunas, piscinas) com os pés descalços e o uso de calçado pouco arejado no Verão. Nestes casos não há dor, mas as unhas ficam com áreas de coloração amarelo acastanhada, tornam-se mais grossas e podem esfarelar-se. Estas infecções fúngicas das unhas curam-se, habitualmente, com comprimidos antifúngicos utilizados de forma prolongada, podendo a remoção da zona parasitada por corte ou abrasão com limas bem como o uso de alguns vernizes antifúngicos potenciar o efeito do tratamento sistémico. Após completar a terapêutica, há que esperar os meses necessários para o crescimento normal da unha.

Unhas frágeis e quebradiças são também uma queixa frequente, sobretudo ao nível das mãos e nas pessoas que recebem com assiduidade cuidados de manicura ou que têm as mãos frequentemente envolvidas em humidade e detergentes no seu trabalho. Mas podem ser identificados e eliminados os factores que provocam ou agravam as alterações das unhas:

Corrigir a carência de ferro, desequilíbrios hormonais e perturbações circulatórias;
Evitar molhar muitas vezes as mãos e os químicos que dissolvem os lípidos intercelulares (cimentos, solventes, sal, ácidos, anilinas, açúcar). Nas profissões mais expostas, usar luvas duplas de protecção (luvas de algodão sob luvas impermeáveis);
Não devem ser usados regularmente alguns procedimentos cosméticos, como a remoção do verniz com acetona, o “amolecimento” das cutículas com soluções alcalinas ou a aplicação de endurecedores à base de resina de formaldeído.
O uso generoso de cremes emolientes, sobretudo após a lavagem das mãos é uma boa rotina preventiva.

A maioria dos problemas das unhas pode ser eficazmente resolvido, pelo que é aconselhável consultar o Dermatologista quando estes surgem. Nos casos em que não é possível uma cura médica ou cirúrgica, pode-se recorrer à camuflagem através da cosmética. O verniz opaco ou as unhas artificiais podem ser aplicados mesmo sobre uma unha lesada, mas podem também ser causa de dano ungueal. As unhas “de gel” podem dar alterações duradouras ou definitivas das unhas, sobretudo na remoção intempestiva das unhas acrílicas. Ainda, tanto os acrilatos das unhas de gel como, mais raramente, a resina dos vernizes podem ocasionar alergia ou dermatite de contacto alérgica à volta das unhas ou nas áreas onde “mexemos” com as unhas (pálpebras, lábios, mento, ouvidos).
   
Principais Doenças da Pele:
 Acne
 Alergia de contacto
(dermatite ou eczema de contacto)
 Alergia ou intolerância ao sol (Fotossensibilidade)
 Alergias a medicamentos
 Calvicie e outras Alopecias
 Cancros de pele e Dermatoses pré-cancerosas
 Dermatite das fraldas
 Eczema seborreico ou Dermatite seborreica
 Eczema atópico ou Dermatite atópica
 Erisipela e outras Infecções bacterianas da pele
 Foto envelhecimento
 Frieiras
 Gravidez-Alterações fisiológicas
 Herpes simples e genital
 Lúpus eritematoso
 Melanoma
 Molusco contagioso
 Pé de atleta e outras micoses
 Pele seca
 Pêlos em excesso
 Piolhos
 Pitiriase Rosada
 Psoríase
 Rosacea
 Sarna
 Sinais benignos da pele
 Sifilis e outras doenças sexualmente transmissíveis
 Unhas doenças das unhas
 Urticárias
 Verrugas e outras doencas pelo virus do papiloma
 Zona ou Herpes zóster
     
     
 
     
 
  Avisos Legais | Termos de Utilização